Percepções sobre o Congresso de Tradutores da Abrates 2010 – parte I

Por Pricila Reis Franz em 29. Mar, 2010 | Tradução | 11 Comments on Percepções sobre o Congresso de Tradutores da Abrates 2010 – parte I

Conforme prometido, aqui vai o primeiro post com impressões e percepções sobre o III Congresso de Tradutores e Intérpretes da Abrates (Associação Brasileira de Tradutores e Intérpretes), realizado em Porto Alegre, nos dias 19 a 21 de março de 2010. Optei por fazer pelo menos dois posts sobre cada dia, bem detalhados, como um diário de bordo, para facilitar a organização e eu não esquecer nada. A Abrates deve disponibilizar o áudio e ppt de (quase) todas as apresentações, mas como não sei quando isso vai acontecer, nesse link você encontra as fotos que tirei de vários slides (não todos, infelizmente).

Antes de mais nada, gostaria de dar os parabéns publicamente à Abrates (Paulo Wengorski, Marcelle Castro, Robert Finnegan, Marcelo Neves Almeida e Renata Armindo) pela organização, pois estava excelente! Foi um Congresso memorável, ótimas palestras e palestrantes! Deixo apenas como sugestão para o próximo um local mais acessível e que tenha internet via wi-fi. 🙂

Agora, primeira observação do dia: o encontro presencial com colegas amigos já conhecidos via internet (orkut ou twitter). É uma situação muito interessante, pois após um breve reconhecimento de cada um, já passamos a conversar como velhos conhecidos, sem aquele constrangimento que geralmente acontece com quem se conhece pela primeira vez. Já tinhamos nossos assuntos e “gírias” em comum! Foi uma excelente possibilidade de interagir melhor com as pessoas que já conhecia on-line, principalmente para quem como eu não reside no eixo RJ-SP (que vivem fazendo encontros presenciais!).

No início do Congresso participei primeiro da oficina sobre A construção de produtos termingráficos / dicionários especializados, com as palestrantes Cleci Bevilacqua e Maria José B. Finatto (UFRGS). Algumas anotações:

  • Como avaliar dicionários / glossários? Lendo a introdução, verificando os termos  e falsos cognatos já conhecidos e se há um guia do usuário.
  • Terminologia: termos e fraseologias, colocações especializadas. Terminologias: vários glossários.
  • Princípios gerais na elaboração de produtos termingráficos: delimitação da área e tema; definição do usuário e finalidade do produto; seleção dos textos que servirão para coleta dos termos; critérios para seleção dos termos que formarão a nomenclatura – temática, perspectiva. É importante revisar os critérios durante o andamento do trabalho.

Na metade da palestra saí e fui para outra oficina (juro que várias vezes queria ter uns três clones meus, para poder participar de tudo que achei interessante), Legendagem, com Sabrina Martinez, da Gemini Media. Achei ótima, pois, de forma prática, a palestrante mostrou como se legenda um filme, falando sobre vários macetes que há nessa área (como marcar uma legenda, a questão do tempo, do tamanho da legenda, etc). Falou também que há um mercado crescente principalmente na área de legendagem em espanhol e apresentou os diferentes tipos de programas para legendar (por exemplo, o Subtitle Workshop, gratuito). Quem tiver interesse em fazer o curso que a Gemini ministra para quem deseja se tornar legendador é só entrar no site da Gemini Training Center.

Após a oficina houve um coffee break, um intervalo importantíssimo para o networking e a troca de cartões de visitas.

A segunda parte do dia (a palestra de abertura) eu vou descrever no próximo post, com as inúmeras anotações que fiz.

Tags:

11 Comentários

  1. Fabio says:

    Oi Pricila, obrigado pela iniciativa de relatar sobre o congresso! Estou acompanhando com interesse.

    • pricila says:

      Fabio e Gabe,

      Obrigada! Fiquem de olho, daqui a pouco sai direto do forno o post sobre a palestra de abertura. Enorme! :d

  2. Internet é bom, mas não tem abraço. Eis o problema. Congresso é melhor, mas acaba. Eis o problema.

    • pricila says:

      Danilo,

      Solução: encontros mensais, com tudo pago (sabe-se lá por quem). 😀

      É uma pena que seja caro para a gente se encontrar mais vezes, mas quem sabe em agosto não consigo ir no congresso do Proz.com? Vamos torcer para que tudo dê certo!

  3. Lota Moncada says:

    Boa iniciativa a sua Pricila! Tive ideia semelhante, mas a volta à vida normal acabou me afastando! Pena a gente ter estado no mesmo lugar e não ter podido se falar!! É a segunda vez que isso acontece… A terceira será a vencida!
    E com relação ao comentário do Danilo, acho que se juntarmos “ambos problemas”, teremos uma solução: comunicação mais fluida com abraço eventual!
    Um abraço, e um beijo à pequena Isabela, Lota

    • pricila says:

      Lota,

      O destino anda conspirando contra a gente, mas da terceira vez não passa! Vamos nos encontrar sim. E espero que seja logo.
      Beijos!

  4. Pri, achei ótima tua iniciativa de postar tuas observações do congresso. Assim, pessoas como eu, que não puderam ir, terão uma idéia dos assuntos abordados. Um beijo pra ti e pra Belinha!

  5. Oi Priscila,

    Também participei da oficina da Sabrina Martínez. Tenho de concordar com você que foi muito interessante, mesmo para as pessoas que como eu não sabem inglês suficiente para dar palpites, risos. Pois sou tradutora só de espanhol.

    Voltei de Porto Alegre pensando em escrever no meu blog sobre o congresso mas o dia-a-dia também me venceu. Quem sabe não faço como a Kelli (Tradutor Profissional) começo a escrever depois de um mês do evento.

    Onde será o Congresso do Proz.com?

    Carol

  6. […] Continuando as impressões do primeiro dia do Congresso da Abrates, registro aqui a palestra de abertura A Babel Global: Crise ou Loucura, com o Keynote Speaker João […]

  7. Zeca says:

    Hoje em dia a Abrates não existe mais. Nenhuma atuação. De nenhum tipo.

Comente!